Feeds:
Artigos
Comentários

mulher-tranquila-passaros

Os dias seguem-se por camadas. Já passámos os da novidade, os das limpezas profundas às casas, os das partilhas de séries, receitas e fotografias. Agora estamos noutro lugar, onde a primeira camada não desaparece, mas deixa de ter o impacto que tinha quando tudo começou. Porque agora estamos a iniciar outra camada mais nossa que nos pode encher de preocupação, ansiedade ou tristeza. Ainda muitos mais dias temos pela frente, talvez semanas. Difícil falar com alguém próximo que não esteja, ou pior, ou se lembre de outro caso que se apresenta bem pior do que o nosso. E, por dentro, apesar de estarmos todos no mesmo barco, há um lugar que só a nós nos diz respeito. Incertezas, medos, ansiedades. Quando isso acontecer, oiça uma música alegre e em som bem alto.

Se não for suficiente, experimente uma sessão online de Equilíbrio Energético, sessões que preparei exclusivamente para esta altura mais difícil e a um preço mais reduzido. Faz bem falar, faz bem ser escutado. Faz bem uma lufada de ar fresco, de esperança, de vida. Porque tantas vezes, é disso que precisamos.

Estarei aqui para si. E acredite, vamos todos ficar mais fortes.

Abraços bons.

danca

Já em plena fase de sessões online, fiz há dias uma Leitura da Aura para fora do país, para um lugar onde o vírus parece ainda não vestir toda a gente de medo, isolamento e incerteza. Os temas são outros e ainda se sente uma normalidade para nós difícil de imaginar.

Para quem nunca fez uma Leitura da Aura, há uma determinada altura do processo em que tenho acesso às histórias do inconsciente da pessoa que se assemelham a sonhos. Nelas é passada informação valiosa sob a forma de metáforas, facilitando assim os processos de tomada de consciência. É dos momentos mais bonitos e preciosos desta metodologia.

No caso desta pessoa, retive uma história que me pareceu interessante partilhar aqui. A cena passava-se algures numa feira ou parque de diversões, onde vários jovens simulavam viagens virtuais em motas. Pareciam entusiasmados em percorrer aqueles caminhos propostos num écran, chegarem ao seu destino no menor tempo possível e ganharem assim as corridas. Disputavam uns com os outros, em gritos agressivos, cheios de adrenalina.

Ao canto da sala havia um volante também com acesso a um écran. Faltava a mota, sinal de avaria que prejudicava o negócio dos feirantes. As filas para as motas estavam cheias de jovens desejosos de se porem à prova, de serem os melhores, de impressionarem as namoradas. Só aquele lugar incompleto permanecia tranquilo.

Então, a heroína da nossa história (representa a pessoa que está a ser lida) dirigiu-se a esse lugar com uma curiosidade redobrada. E se aquela máquina incompleta pudesse ter outra utilidade? Encontrou por perto uns auscultadores. E, sem sabermos se por ela, ou se por um qualquer botão que encontrou por ali, começou a dançar diante do écran. Este tinha o caminho, mas o volante não reagia a qualquer estímulo. A viagem simplesmente acontecia sem controle. E diante deste cenário, a rapariga dançava, cada vez mais. A um ponto tal que se esqueceu de onde estava. Não sentia vergonha, apenas vontade de continuar ali, desafiando a estrada que estranhamente lhe parecia calma. Ou melhor, a mim parecia-me estranho. A ela, apenas calma.

As pessoas que aguardavam para experimentar as motas olhavam-na intrigadas, Umas trocistas, outras receosas. Outras tentando negar uma curiosidade que se ia aos poucos transformando em entusiasmo. Mas ninguém se mostrava indiferente. Indiferente estava ela a todos estes olhares.

Aos poucos, algumas daquelas pessoas saíram das filas e juntaram-se à sua dança. O écran era igual. Mudava a atitude. E, consequentemente, a paisagem.

As histórias que o inconsciente nos conta são preciosas para o nosso autoconhecimento.

Esta história que pertence ao inconsciente de uma pessoa, parece estar neste momento ligada a todos nós, neste inconsciente coletivo que cada vez mais se torna claro.

Este é um momento de Fé, de adaptação, de atitude. De coragem. E tudo isso é tão contagioso. Mas contágio do bom. Que tenha a capacidade de se espalhar com mais força do que o Covid 19.

Espero que tenham gostado tanto desta mensagem como eu de a ter recebido. Guarde-a como sentir, da sua forma, na sua história pessoal.

Qualquer coisa, estou aqui com o meu trabalho para a ajudar a enfrentar com serenidade estes próximos tempos.

Abraços bons.

conseguir

Em plena fase de quarentena que nos afeta a todos, o período exige contenção, controle e serenidade. Ora, por todas as razões, é natural que a ansiedade e o medo tomem a dianteira. Mais do que nunca precisamos de ser fortes, estar equilibrados, pois o nosso sistema imunitário tem de estar à altura.

Nesse sentido, criei um modelo de consulta para esta altura a que dei o nome de “Sessões de equilíbrio energético online“.  Só precisa assegurar-se de que nao vai ser interrompido/a.

Nelas misturo o Reiki, Storytelling, e um pouco de PNL, todas as minhas ferramentas de trabalho a colaborarem por sior, por mim, que também pratico em mim, por todos.

A ideia é no final sentir-se empoderado/a, tranquilo/a, aliviado/a e luminoso/a, pronto/a para viver com otimismo os tempos que se seguem.

Estas sessões de crise têm o valor especial de 40 euros.

Estamos juntos e juntos venceremos!

Abraços mesmo bons!

 

 

 

 

 

 

.chacras

Estamos a viver um tempo de desafio, o maior das nossas existências, não contando aqui com as gerações mais velhas que viveram outras guerras.

No sofá de nossas casas, sem fim â vista, os dias vão exigir de nós muito mais do que imaginação. Vão impor um forte centramento, equilíbrio constante, responsabilidade, paciência, coragem, serenidade e uma luta titânica contra a tendência para o desleixo.

Uma “guerra” desta natureza vai necessariamente transformar-nos por dentro. Não seremos mais os mesmos quando tudo isto passar. Cada um de nós terá um papel numa nova ordem de vida e é agora que temos de começar a prepará-lo. A partir de dentro; de nós, nas nossas casas, com quem nos acompanha. Ou quem o faz, à distância de um qualquer clic.

Deixo-lhe aqui algumas dicas daquilo que eu própria tenciono e já estou a fazer:

Dica 1: Mantenha-se ativo! Dance, oiça música alto. Arrume finalmente aquele armário, aquela dispensa. Mexa-se.Tudo o que fizer em casa, faça a dançar. Vai ver a diferença na sua energia.

Dica 2: Reduza as leituras sobre o tema!  Por favor, não leia notícias aqui e ali ao minuto. Não interessa o que disse a tia do sobrinho que é pai de alguém que está lá dentro e sabe muito. Não!! Não esteja agarrado às redes sociais em busca de mais artigos, mais reportagens, mais teorias. Leia outras coisas. Romances, por exemplo. Silencie o tema, crie espaço dentro de si para o sonho. Informe-se sim, mas em tempo reduzido. Tente. Isto ainda agora começou!

Dica 3: Mantenha contacto com amigos e família por vídeo. Partilhem as vossas quarentenas, enquanto bebem um chá. Abençoados tempos que nos permitem estas coisas.

Dia 4: Estude novos assuntos. Aprender é sempre bom. Agora até tem tempo, já viu? Estude, aprofunde, teste. Vai ver que o tempo passa muito mais rápido.

Dica 5: Seja criativo: Pinte, escreva, toque música, faça carpintaria, arranje a casa, experimente receitas novas.

Dica 6: Veja séries e bons filmes: Não o dia todo, mas numa boa parte.

Dica 7: Tenha sempre um plano para o dia seguinte: Ajuda-o a sentir.se vivo e motivado. E com a fé em alta.

Você vai sobreviver a isto. Por isso vamos lá enfrentar estes dias o melhor que conseguirmos. Cada um e todos juntos. Talvez no fim deste período negro, possamos ser todos bem mais atentos uns aos outros e ao meio ambiente. E quem sabe, tudo fique nos seus lugares.

Abraços distantes mas sempre bons.

uniao humanidade

Não vos venho falar do que não sei. Não tenho palpites nem soluções. Não tenho opinião pública do que se está a fazer bem ou mal.

Venho sim dar-vos outro olhar, aquele que tenho de acordo com o que acredito, pratico e vivo: a energia do momento. Foi preciso uma pandemia para nos obrigar a parar. Foi preciso o isolamento social para nos apercebermos de quem gostamos de ter por perto. Foi preciso os nossos movimentos ficarem condicionados para nos apercebermos de que não estávamos assim tão limitados.

O país e o Mundo têm mesmo de aprender sobre resiliência e generosidade, em conjunto e cada um por si. Com a internet a ligar-nos uns aos outros, podemos caminhar acompanhados. Nem tudo é mau. Vamos aprender a dar valor ao que tem valor e acredito mesmo que não seremos mais os mesmos depois deste tumulto passar.

Para já, é importante trabalharmos a nossa energia. Cuidarmos para que o medo não nos tire o bom senso. Para que consigamos viver com consciência e responsabilidade estes tempos. E acreditar, acreditar sempre, que a humanidade está a organizar-se para que os nossos descendentes aprendam a cuidar desta nova Terra, com respeito, amor e liberdade.

Continuarei a dar as minhas consultas por Skype e presenciais, enquanto for possível. Caso se sinta sozinho/a, assustado/a ou demasiado ansioso/a pode ser importante trabalhar a sua energia. Qualquer coisa, estou aqui, com Leitura da Aura ou Coaching Pessoal que inclui trabalho energético. Às vezes alguém distante que nos escute e nos tranquilize pode fazer toda a diferença, até na nossa imunidade.

Portugal já provou que, unido, consegue fazer milagres. Vamos, pois, trabalhar a nossa energia todos na mesma direção? Então o Covid 19 que se cuide!!!!

Abraços bons.

relacionamentos maduros

Quando vemos uma pessoa pela primeira vez, tecemos de imediato uma opinião sobre ela. Alguma coisa vamos sentir. Ou nos parece agradável e nos faz sentir bem, ou cansa-nos. Ou, por outro lado, pode causar-nos uma aversão que muitas vezes nem conseguimos explicar. Claro que tudo isto pode ser analisado à luz do autoconhecimento e é importante que o façamos. Ninguém se cruza na nossa vida por acaso e nós vamo-nos descobrindo por todas estas interações. Às vezes até com o empregado do café da esquina.

Hoje, convido-vos também a um outro olhar: O da curiosidade. Todas as pessoas têm uma história e todas, sem excepção, sobreviveram a ela. Viajamos constantemente entre o passado e o presente, para nos lembrarmos que já percorremos muita estrada e que isso nos dá uma espécie de autoridade diante das nossas fragilidades. Temos direito a elas, porque, afinal, fazem tanto parte de nós como as nossas conquistas. É o resultado de todo este mix que faz com que cada um de nós seja único. Nós e os outros, exatamente no mesmo bolo. Ou seja, podemos tornar-nos menos radicais com a idade e bem mais sensatos na apreciação que fazemos dos outros.

Por isso, acredito que quem vê caras vê o olhar que as ilumina ou ensombra. E, com essa capacidade, podemos ver os corações que muitas vezes contrastam com as suas palavras ou comportamento. Ter esta curiosidade em relação ao outro enriquece a nossa vida e permite-nos ir para lá dos preconceitos que nos levavam a desistir cedo demais dos outros.

Esta é uma conquista da maturidade, quando aprendemos à nossa custa que a vida não é um conto de fadas, mas pode ser sim, bem mais intensa e profunda. E se conseguirmos trabalhar este olhar sobre a nossa vida e as interações com os outros, fechamos a porta a amarguras. Porque em algum momento encontraremos as pessoas certas para continuarmos a viagem da nossa vida, em muito boa companhia.

Trabalhe o olhar que tem sobre o seu passado para que o presente se transforme em curiosidade e o futuro em esperança. E verá que os corações de alguns outros estarão bem mais perto do seu do que imagina.

Uma Leitura da Aura dá-nos a esperança de um novo olhar sobre o nosso presente; O Coaching do caminho até quem queremos ser; E o Reiki a equilibrar, limpar e iluminar a nossa energia ao longo de todo o processo.

Abraços bons

Foco no fosso

Há alturas na nossa vida em que nos baralhamos com aquilo que consideramos ser o nosso foco. Sentimos que lutamos com cavalos de vento, apesar de nos sentirmos prontos para qualquer embate. Flutuamos na vida cheios de teorias que nos enchem de uma força que se desfaz às primeiras desilusões. Porque todas as teorias caiem por terra diante da demonstração de que a vida não é assim tão linear.

E não é que as teorias estejam erradas. Todas elas devem ser arrumadas dentro de nós com bom senso e com a respetiva quota parte de responsabilidade. É importante termos noção de que há desafios mais exigentes do que outros e que podem demorar mais tempo do que aquele que desejaríamos para serem ultrapassados.

Então se sente que parece que as suas lutas não o levam a lugar algum, que parece que o seu esforço para se focar, apenas o desfocam da vida, está na hora de parar. Procure um lugar a que chame “casa”. Fale com alguém que o ajude a pensar: uma pessoa mais velha, um bom amigo. Um terapeuta ou coach. Aperceba-se por onde lhe foge a sua energia. O que está a mais na sua vida. Reúna-se de todos os seus talentos, de todos os seus afetos, de toda a sua história recheada de superações. E saiba que pode estar numa altura de fazer escolhas. Mudar de direção. Alterar rotinas. Acrescentar ou encerrar capítulos.

Talvez o seu foco precise ser ajustado, tendo em conta aquilo que precisa para estar preparado para atingir os seus objetivos. Um trabalho pessoal com um profissional pode ser um bom investimento. Nem sempre temos uma visão clara dos nossos desafios, nem tão pouco daquilo que temos à nossa disposição para os enfrentar.

Aconteça o que acontecer, saiba que, se tem um sonho, luta por ele e se recusa a baixar os braços, acredite que está preparado para qualquer desafio. Nem sempre os ventos sopram de feição, então há que aguardar a melhor altura para prosseguir viagem. Acredite em si. Porque a vida acabará sempre por fazer justiça.

Uma Leitura da Aura motiva-o, o Reiki equilibra-o e o Coaching acompanha-o no seu processo de renascimento.

Abraços bons.